• 19 de março de 2021

Três visitas técnicas virtuais apresentaram as experiências de Minas Gerais, nesta sexta-feira, 19 de março, último dia do 14° Seminário Nacional de Resíduos Sólidos e 1º Painel Internacional de Resíduos Sólidos, promovidos pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental e que teve como anfitriã, nesta edição, a ABES Seção Minas Gerais. Foram elas: Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR 040 – CTRS BR 040 – Belo Horizonte; Central de Tratamento de Resíduos Sólidos – CTR Macaúbas (Região Metropolitana de Belo Horizonte) e Aterro Sanitário de Mariana.

A visita à CTRS BR 040 teve como moderadora Camila Seixas e apresentações de Aurora Pederzoli, Pedro Gasparini Barbosa Heller, Cícero Antônio Nunes Catapreta, Fernando Augusto Muzzi Ramos, Ana Paula da Costa Assunção, Bernadete Nunes Cerqueira  e Patricia Dayrell.

O grupo apresentou o local do antigo aterro sanitário de RSU de Belo Horizonte, desativado em 2007.

Visando à manutenção, com segurança, das atividades que ainda são desenvolvidas, bem como a recuperação do passivo ambiental, foi elaborado um Plano de Manejo (2018), parcialmente em implantação.

Foram mostrados um breve histórico da área, da operação e do encerramento, além dos programas de reciclagem de RCC e de compostagem, da estrutura de aproveitamento energético (biogás), do relacionamento com a comunidade e de outras atividades desenvolvidas no local.

Por fim, a apresentação do Plano de manejo, trabalho multidisciplinar coordenado pela SLU e desenvolvido em parceria com outras secretarias da Prefeitura.

CTR Macaúbas

Este tour virtual teve moderação de Luisa Ferolla e apresentações de Riordan Vargas Alvim e Renato Giovanni Menezes Fonseca.

Os participantes conheceram a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da Vital Engenharia Ambiental, situada no município de Sabará (Região Metropolitana de Belo Horizonte), que atende a 21 cidades, incluindo Belo Horizonte.

Também receberam informações sobre as frentes operacionais do empreendimento CTR Macaúbas: portaria, vias de acesso, sistema de pesagem, frente de operação, tratamento de efluentes, área de transbordo e triagem e usina de geração de energia através do biogás e administração.

Aterro de Mariana

Com moderação de Flávia Mourão e apresentações de Patricia Bernardes, Rodolfo Rodrigues, Ricardo Siqueira e Daniel de Assis Carvalho, mostrou o cenário atual do aterro e discutiu soluções ambientais inovadoras.

O rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (2015) gerou um grande arranjo de medidas de reparação e compensação pelos danos.

A Fundação Renova realizou uma apresentação institucional e os participantes também assistiram a uma explanação sobre o licenciamento ambiental do novo aterro e conheceram a infraestrutura do espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *